O que a ESG quer dizer sobre o seu negócio?

O que a ESG quer dizer sobre o seu negócio?

O que a ESG quer dizer sobre o seu negócio?

Se engana quem pensa que é obrigatório escolher entre construir um mundo mais sustentável ou ter bons resultados financeiros em uma empresa. Ser uma empresa sustentável é cuidar do meio ambiente, é ter responsabilidade social e adotar melhores práticas de governança que são, na verdade, fatores que ajudam no balanço dos negócios. Esse é um dos motivos para que termos como ESG tenham se tornado mais populares.

Em outras palavras, negócios que se comprometem com as melhores práticas de gestão acabam tendo uma operação mais sustentável em diversos aspectos, incluindo o econômico e na gestão de riscos e como consequência, geram resultados melhores ao longo do tempo

Se você é investidor ou pretende dar os primeiros passos no mercado financeiro, precisa acompanhar as tendências para identificar boas oportunidades. Nesse cenário, saber o que é ESG e os seus impactos nos investimentos é um diferencial importante.

O termo tem relação com conceitos de sustentabilidade e responsabilidade social questões que ganham cada vez mais espaço no mercado global. Assim, ele pode ser observado ao escolher empresas e fundos para investir.

Paisagem com grafias ambientais

Afinal, o que é ESG?

ESG é a sigla em inglês para “Environmental, Social and Governance” (AMBIENTAL, SOCIAL E GOVERNANÇA, em português), geralmente usada para medir as práticas ambientais, sociais e de governança de uma empresa. Esses três pilares são utilizados como critérios para entender se uma empresa possui sustentabilidade empresarial, ampliando a perspectiva de análise do negócio para além das métricas financeiras. Ou seja, busca-se mensurar se a empresa é realmente uma opção viável de investimentos sustentáveis, capazes (e engajados) de gerar impactos positivos financeiros, sociais e ambientais.

Desse modo, a incorporação do ESG à estratégia e modelo de negócios das organizações reitera a máxima de que que propósito e lucro são indissociáveis. Trata-se de validar que uma empresa tenha consciência sobre o seu papel enquanto empregadora e agente social.

ESG pode ser usado para dizer quanto um negócio busca formas de minimizar seus impactos no meio ambiente, construir um mundo mais justo e responsável para as pessoas em seu entorno e manter os melhores processos de administração.

E o que significa cada letra dessa sigla?

A sigla ESG une três fatores que mostram quanto uma empresa está comprometida em ter uma operação mais sustentável em termos ambientais, sociais e de governança. Cada letra tem um significado:

E (Environmental, em inglês, ou ambiental, em português)

A letra E da sigla se refere às práticas de uma empresa em relação à conservação do meio-ambiente e sua atuação sobre temas como:

– Aquecimento global e emissão de carbono;                                    – Desmatamento;

– Poluição do ar e da água;                                                                            – Eficiência energética;

– Biodiversidade;                                                                                                – Gestão de resíduos;

– Escassez de água.

S (social, em inglês e português)

Já a letra S diz respeito à relação de uma empresa com as pessoas que fazem parte do seu universo. Por exemplo:

– Satisfação dos clientes;                                                                           – Engajamento dos funcionários;

– Proteção de dados e privacidade;                                                    – Relacionamento com a comunidade;

– Diversidade da equipe;                                                                          – Respeito aos direitos humanos e às leis trabalhistas.

G (governance, em inglês, ou governança, em português)

Por fim, a letra G se refere à administração de uma empresa. Por exemplo:

– Estrutura do comitê de auditoria;                                                            – Composição do Conselho;

– Conduta corporativa;                                                                                     – Remuneração dos executivos;

– Relação com entidades do governo e políticos;                              – Existência de um canal de denúncias.

O que sua organização faz em relação à sustentabilidade?

Toda organização precisa responder a essa pergunta com base na natureza de sua indústria, cultura, mercados, prioridades de Stakeholders, ambiente regulatório, apetite para liderar e investir, desafios intrínsecos do ponto de vista da execução e perspectivas de longo prazo. Vejamos a baixo o detalhamento de cada indicador analisado nas cias:

Gráfico de relação ambiental

 

 

  • Ambientalexaminam o desempenho de uma empresa como administradora do ambiente natural em que atua. Incluem políticas e a capacidade de mitigar risco (ex.: uso de energia renovável, gestão de resíduos, controle da poluição e emissão de CO2, gestão de recursos hídricos).
  • Socialexaminam como a empresa gerencia relacionamentos com seus diferentes públicos nas geografias onde atua (colaboradores, fornecedores, clientes e comunidades). Contemplam as visões e práticas sobre diversidade, direitos humanos e defesa do consumidor.
  • Governançaabrange as esferas de liderança da empresa, remuneração executiva, processo de sucessão, ambiente de controle (riscos e compliance), funções de garantia e direitos de acionistas e demais Stakeholders.

 

É muito importante ter o controle desses indicadores se seu negócio deseja seguir as métricas da ESG. A indiferença às questões de sustentabilidade nos negócios traz consigo o risco de danos à reputação, erosão da marca, perda de talento, e, em última instância, fracasso nos negócios.

Por outro lado, um forte compromisso com a sustentabilidade impulsiona a inovação disruptiva, a coerência entre discursos e ações e, principalmente, o aprimoramento da liderança, colaboração e transparência.

A importância de ser ESG

Praticar os três pilares da sustentabilidade é uma tarefa árdua para as empresas, mas que traz resultados positivos no mundo dos negócios, vantagens competitivas, melhora de reputação, maior lucratividade e melhora do valuation ao longo do tempo. O ESG, com certeza, é uma forma de incentivar as companhias a cuidar mais do meio ambiente, preservar as florestas, diminuir o uso de recursos naturais e a geração de resíduos, além de promover a economia circular para evitar que os materiais sejam dispostos em aterros. Com estes critérios de sustentabilidade, as corporações passam a se preocupar mais com o meio ambiente e ajudar a conter as mudanças climáticas.

Portanto, estar alinhada aos pilares ESG significa cuidar do planeta e garantir que o mercado veja a empresa de forma positiva para atrair investimentos e movimentar a economia.

Práticas de ESG que podem ser adotadas por empresas

A mudança de paradigma trazida pelo ESG fez com que as empresas percebessem que a adoção dessas práticas já não é mais uma escolha, seja por conta da pressão dos fundos de investimento, seja por conta dos investidores ativos. Mas equilibrar a busca de valor no longo prazo com a adoção de práticas que podem prejudicar os lucros de curto prazo não é tão simples e, nesse contexto, existem algumas boas práticas de ESG surgindo.

  • Engajamento proativo dos acionistas

Um programa proativo de engajamento dos acionistas permite que uma empresa de capital aberto entenda as questões mais importantes para seus investidores, incluindo os passivos. Já não é suficiente centrar a divulgação para os investidores em torno de resultados trimestrais e decisões de compra e venda. A comunicação com os acionistas deve atender às mudanças na base de investidores e ao maior foco no valor de longo prazo, incluindo questões de ESG;

  • Abrace a sustentabilidade

O foco aprimorado em sustentabilidade e ESG é uma prioridade para muitos investidores e é importante que eles não estejam apenas na agenda de discussão, mas sim integrados à estratégia da empresa como um todo. A tendência é que as empresas de sucesso abracem as questões ambientais e sociais como parte da criação de uma estratégia de negócios sustentável e parte integrante de seu perfil de governança.

  • Aprimore sua governança ESG interna

A governança da sustentabilidade não deve se limitar à diretoria, e um programa de ESG bem elaborado deve incorporar controles focados na sustentabilidade, indicadores chave de desempenho (KPIs) e relatórios em toda a organização. Todos os níveis de gestão devem estar envolvidos na incorporação da sustentabilidade no dia a dia da empresa. Isso requer uma cultura empresarial em que a sustentabilidade e o propósito não sejam uma reflexão tardia, mas sejam essenciais para a existência da empresa.

Para saber mais informações sobre novas tecnologias e como podemos melhorar e otimizar a sua rotina, acesse o nosso site https://www.supplymidia.com.br/.

Compartilhe:
FacebookTwitterLinkedIn

Receba nossas novidades

Junte-se à nossa newsletter para se manter atualizado sobre recursos e lançamentos.

    Ao se inscrever, você concorda com nossa Política de Privacidade e dá consentimento para receber atualizações da nossa empresa.